Artigo: O bem estar do futsal

O futsal é um esporte mundialmente famoso. Segundo Baseggio (2011) acredita-se que surgiu das peladas de várzea que começaram a ser adaptadas às quadras de basquete e pequenos salões na década de 30 no Uruguai. No Brasil foi introduzida através da Associação Cristã de Moços, em São Paulo entre os anos de 1948/49, a dedicação foi tanta que logo conseguiu o reconhecimento popular e tornou-se um esporte oficial. Nas décadas de 60 e 70, o Futsal começou a ser regulamentado e ganhar o continente. Por fim, criou-se então a Federação Internacional de Futebol de Salão (FIFUSA), no Rio de Janeiro, hoje funcionando dentro da Federação Internacional de Futebol (FIFA).

O futsal como um esporte bastante praticado em nossa cultura, pode acrescentar muito quando é bem trabalhado nas aulas, sendo uma ótima ferramenta para os professores nas aulas de Educação Física, visto que permite a exploração de diversas possibilidades de acordo com os objetivos a serem alcançados.

A fase escolar em que a prática do esporte geralmente é iniciada constitui uma fase da vida em que a criança e o adolescente estão passando por amadurecimento tanto no sentido biológico, quanto no psicológico e no social. O futsal como modalidade esportiva e conteúdo das aulas de educação física, pode ser trabalhado de vários jeitos, obtendo inúmeros resultados.

Por ser um esporte dinâmico onde inclui trabalho em equipe, estratégias de jogo, socialização, raciocínio rápido devido a várias situações problemas de jogo.

O futsal ajuda principalmente na parte cognitiva, você se desloca em todas as direções, de frente, de costas e sempre observando tudo o que está acontecendo na quadra. Também dentro dessa parte cognitiva tem toda a situação de você obter uma melhor coordenação, pois você toca muitas vezes na bola, e como é um jogo que a quadra é pequena, você está sempre pressionado, e isso exige que se desenvolva essa parte técnica, como utilizar as duas pernas, ajudando muito no raciocínio do atleta. Enfim, todo esse trabalho acaba acontecendo nessa parte cognitiva dentro do treinamento no futsal.

E o que essa parte ajuda na área social, é incontestável, se levar isso para outras situações, ajudando-o a melhorar sua percepção em tudo. Para um jovem que tem muita oportunidade de trabalhar essa parte cognitiva de uma forma mais assertiva, acaba sendo um benefício que ele acaba levando para vida dele”, afirmou Daniel Graça, analista de desempenho da Liga Paulista de Futsal.

Tudo isto pode ser refletido pelo aluno na sala de aula ou em casa. Os valores alcançados através do jogo esportivo, como a interiorização das regras, a colaboração, a aceitação da autoridade, a disciplina, a iniciativa e a superação de si mesmo, configuram uma constelação de condutas positivas, construtivas e integradoras, que se encontram presentes no sistema de valores que cada um assume para si mesmo e com sua maneira de viver. Além da atividade física, o futsal, promove vários benefícios ao amadurecimento social e pessoal do aluno.

Logo, entende-se que a disciplina pode exercer uma força muito positiva de estímulo a ação, pensamento e conhecimento, nas instâncias cognitivas, sociais e afetivas, isto é, em vários aspectos da vida da criança.

O indivíduo, inteiramente desenvolvido através da prática de atividade física, pode levar um estilo de vida mais ativo, produtivo e saudável, pois apresenta uma relação íntegra, recomendada e segura de harmonia entre espírito, mente e corpo.

O futsal ajuda em vários aspectos, primeiro o futsal ensina a ter uma disciplina maior em relação ao campo, não que no campo não tenha, mas o futsal tem uma proximidade maior com a família, os meninos começam jogando juntos numa escolinha, vão para os mesmos times e jogam juntos por um bom tempo e se separam e voltam, separam e voltam e criam um vínculo muito grande. E também o treinador de futsal ele tem essa missão de formar cidadão, de fazer o menino respeitar uma hierarquia, trabalhar em grupo, já que ele encontra ali um atleta jovem, sem vícios de um adulto que já tem uma maior experiência e já não tolera tanta coisa.

Então ele (treinador) meio que vai moldando, se o jogador vai ser craque ou não, é outra história. Mas na questão da disciplina, já é mostrado para o menino que se ele realmente quer ser um profissional, tem que abrir mão de muita coisa, ele vai estar naquela fase de curtir a vida, ir pra balada e tudo mais, isso vai ter ainda, mas de uma maneira mais regrada, mais disciplinada, vai ter que abrir mão de sair toda sexta, todo sábado, todo domingo e de preferência nem fumar e beber. Enfim, eu vejo muitos atletas hoje com seus 18, 19 anos que já tem essa preocupação e muitos deles já tem um personal trainner, que os orientam nas questões alimentares e físicas”, comentou Gilberto Santos, jornalista e narrador da Liga Paulista de Futsal.

Com informações: Blog Canetada FC: Fotos: Guilherme Eduardo e Guilherme Sampaio