Com ajustes no sistema defensivo, Tempersul/Dracena encara o Yoka/Milclean

Ao longo desta semana, o técnico do Tempersul/Dracena, Flavinho Cavalcante focou boa parte dos trabalhos no sistema defensivo, de olho no duelo deste sábado, às 18h, diante o Yoak/Milclean, em Guaratinguetá (Vale do Paraíba), pela fase quartas de final da Copa LPF. Quem vencer, se classifica. Em caso de empate, a definição da vaga vai para a prorrogação. Se a igualdade persistir, o Yoka avança por ter melhor campanha.

O ponto forte do Tempersul/Dracena na primeira fase foi o ataque: 24 gols em seis jogos (média de quatro por partida). Boa parte desses tentos foi anotado nos primeiros três duelos, quando alcançou 100% de aproveitamento. Nos últimos três compromissos, foram duas derrotas e um empate. A explicação de Flavinho Cavalcante quanto à má fase atual passa pela parte defensiva da equipe.

“O Dracena vai jogar uma decisão, é isso que a gente vem trabalhando bastante com os atletas. O time deu uma caída principalmente na parte defensiva, mas na ofensiva continua sendo produtivo. Precisamos estancar essa situação da defesa para não tomar muitos gols. Então, trabalhamos bastante nesse sentido, fizemos algumas modificações e, principalmente, demos atenção ao psicológico do pessoal, para entrar em quadra com a cabeça boa e confiante”

Nesse sentido, o time busca um equilíbrio para poder ir bem na fase eliminatória do campeonato. A conquista da vaga fora de casa e o sucesso na Copa LPF, na visão do treinador, vão ser alcançados se existir essa harmonia entre ataque e defesa.

“A gente precisa achar o equilíbrio. Atacamos bem, fazemos bastante gols, somos o segundo melhor ataque do campeonato, porém, estamos tomando muitos gols, e isso vai fazer muita diferença agora, por isso estamos dando muita atenção”

Enquanto o Tempersul/Dracena foi o terceiro do Grupo A, o Yoka/Milclean ficou em segundo na Chave B, com 12 pontos em seis jogos (três vitórias e três empates). Além de cuidar da defesa, os últimos dias de Flavinho foram marcados por estudos sobre o rival do Vale do Paraíba.

“Quando chega nesses duelos decisivos, se estuda muito o adversário, então acredito que eles estejam estudando os nossos jogos e, por esse lado, também estamos fazendo a mesma coisa. O time deles é bem competitivo, fez uma boa campanha, marca bem e tem jogadores, fisicamente, muito fortes. A gente está trabalhando em cima desses aspectos para ver o que consegue tirar de proveito e tentar neutralizar algumas situações que eles executam bem”.