Goleiro e preparador mantêm boa expectativa mesmo com trabalho “iniciado do zero” no Dracena

O clima pode ser de tudo novo também para os responsáveis por defender o gol do Tempersul/Dracena, porém esse elemento importante a ser considerado em um ambiente de trabalho não tira o discurso otimista de dois dos profissionais inseridos no contexto. Enquanto a pré-temporada do time segue há uma semana, o goleiro Léo e o preparador da posição Kynha garantem que a projeção de um ano de conquistas está mantida no que depender deles.

“Estamos com três goleiros novos em relação ao ano passado, então é um trabalho novo, iniciado do zero praticamente. Costumo dizer que o goleiro tem um cargo de confiança. Cabe a nós, da preparação, entender aquilo que o treinador quer de seus goleiros e repassar a eles”,  revelou Kynha.

Logo após o início na última quinta-feira (11), a pré-temporada do Dracena deixou de conter apenas as conversas e avaliações físicas e deu espaço aos trabalhos com bola, ainda com foco principal no condicionamento dos jogadores. Os goleiros seguiram pelo mesmo ritmo.

Tanto para Kynha quanto para Léo, o nível em que estão os atuais representantes da posição não traz maiores preocupações, considerando o fato da estreia estar prevista para abril, pela Copa Paulista. Vale lembrar que, na última terça-feira (16), o Dracena encerrou o vínculo com o goleiro Igor e anunciou Raul. E o motivo principal, conforme a assessoria, esteve voltado às condições físicas.

“Já em janeiro, no início, aumentei os cuidados, o foco na preparação, para me preparar para este momento. Tudo isso para não dar tanto trabalho ao Kynha (risos)”, disse o arqueiro.

Léo tem 23 anos e foi o 11º nome apresentado pelo time do Oeste Paulista, em 18 de janeiro. O atleta teve uma passagem pelo futebol de campo até os 18 anos, quando começou a se dedicar às quadras. A vontade agora é de repetir o bom desempenho alcançado com a camisa do Ceará, seu último clube.

“A gente sabe que muda tudo, não só para mim, mas a equipe passa por essa reformulação, com técnico novo. Pressão sempre vai existir, o time ganhou a Liga Paulista no ano passado, e todos nós queremos seguir conquistando. Não é fácil se manter em cima. É trabalhar redobrado”, falou o goleiro.

Já Kynha é um dos remanescentes de 2020, ano em que a parceria com o antigo Orlândia (hoje em Santo André) resultou na conquista estadual. Durante a participação na Liga Nacional e Paulista, Kynha trabalhou com os goleiros Pedrinho, Rhuan e Velloso. Os dois últimos, inclusive, haviam trabalho com ele ainda em São Carlos, outra sede da ex-parceira. O preparador aposta que a troca não será sinônimo de problemas à equipe, mesmo durante a adaptação inicial.

“Tínhamos três goleiros de alto nível, com características diferentes. E, neste ano, temos três goleiros que vêm de grandes escolas. Todos que chegam são sempre bem indicados, bem observados. Assim, as expectativas permanecem voltadas a uma boa temporada de trabalho”.

Com informações: Paulo Tarocco (Globo Esporte.com) | Foto: Dracena Futsal