LPF presta homenagem ao Dia do Árbitro

Muitas vezes contestado, questionado e até mesmo injustiçado. Mas poucos sabem sobre a sua real importância para uma partida. “Sem ele, não há jogo”, é o que se diz sempre. E essa escrita sintetiza muito bem o papal do árbitro dentro de um jogo. Todos fazem parte do espetáculo: atletas, torcedores e Oficiais. Neste sexta-feira (11), comemora-se o Dia do Árbitro, e como forma de homenagear estes profissionais, que, literalmente, ditam as regras dentro das quatro linhas, a LPF (Liga Paulista de Futsal), perguntou: “Pra você, o que é ser árbitro?”

Edison Medeiros, Diretor de Arbitragem da LPF, começou em 1989. Seu primeiro jogo foi ADC Leite Paulista x Rodovidro

Ser árbitro é uma paixão, pois na maioria das vezes as pessoas não entendem a importância de um árbitro dentro de uma partida, afinal de contas sem árbitro não tem jogo! Deixamos nossas famílias em casa, deixamos de participar de reuniões familiares e saímos com o único objetivo, o de fazer com que as regras da modalidade sejam respeitadas. Como digo para todos os oficiais que coordeno, temos que Amar muito a arbitragem, pois só com muito Amor no que fazemos é que suportamos todos os momentos ruins que vivemos dentro das quatro linhas“.

Sergio Dionísio – árbitro da LPF e Presidente da ANOAF (Associação Nacional de Árbitros de Futsal)

Árbitro é ter o dom de ser autoridade sem ser autoritário, saber lidar com adversidades de uma partida, agindo na razão e tolerando a emoção das pessoas

Charles Gimenez – árbitro LPF

Ser Árbitro é sentir o jogo com o coração, é se divertir arbitrando sem brincar de apitar, sentimento que ultrapassa os xingamentos, as reclamações e os gritos das arquibancadas. Para mim, ser mim ser árbitro é, às vezes não saber se é o soar do apito ou o pulsar do coração

Evandro Cassemiro – árbitro LPF e ABLF

Ser árbitro é paixão, amor, dedicação, tem gostar do que faz, ter prazer em arbitrar, fazer com profissionalismo, o árbitro tem que ser discreto e aparecer somente na hora de aplicar a regra do jogo“.

 

Daniele Bresciani – Anotadora LPF e ABLF:

“Ser árbitra é poder participar , colaborar é poder sentir a adrenalina do jogo, mesmo não sendo jogadora. A cada jogo, jogamos com nossa equipe de Arbitragem estando atentos a tudo é a todos, a cada lance durante uma partida.  Ser árbitro é ter amor pelo esporte, ter muita dedicação e CORAGEM.  E o principal ser humilde, para reconhecer nossos erros, pois nós também erramos! FELIZ DIAS PARA TODOS OS PROFISSIONAIS DA ARBITRAGEM, em especial elas as Árbitras guerreiras e corajosas!”

 

Erik Moura – árbitro LPF e ABLF:

“Ser árbitro é poder agir com a razão, e deixar de lado a emoção e assumir com responsabilidade que se deve ter com a profissão de árbitro.  É poder entrar em quadra e fazer um bom trabalho com paixão e amor à profissão.”

 

Marco Bittar – Árbitro LPF e ABLF:

“Ser árbitro é trabalhar por amor ao esporte! É colocar toda sua integridade no compromisso de um jogo sério, transparente e limpo. É estudo, dedicação e treinamento para que o espetáculo saia perfeito. O dom de arbitrar é paixão, é arte que se sente”.

 

 

O ÁRBITRO 

Por Alexandre Américo Praxedes Dias, árbitro da Liga Alagoana de Futsal

“Muitas vezes incompreendido, Dificilmente vai agradar a todos Por muitos é xingado e até mesmo condenado!
Já ouvi que árbitro é ex atleta frustrado;
Raramente é reconhecido e premiado.

Mas o que poucos sabem é que o árbitro é aquele que mais se preocupa com o bem estar da partida. Aquele que se anula para que haja um espetáculo protagonizado por outras pessoas, mas sendo que ele é o principal, pois não existe esporte sem árbitro! Que Deus abençoe cada árbitro que busca fazer o certo e ser cada dia melhor”.