Volta aos treinos: Ortopedista dá dicas para evitar lesões na academia
Recentemente, algumas cidades do Brasil já receberam as autorizações para que as academias voltassem a abrir as portas, desde que professores, funcionários e alunos seguissem os protocolos de segurança com medidas de higiene e distanciamento. E com essa retomada, surge uma preocupação por conta dos ortopedistas em relação à algumas ações que podem colocar o corpo em risco na hora de se habituar ao novo ritmo.
Realizar regularmente algum tipo de atividade física é uma ótima aposta para manter a saúde física e psicológica em dia. Entretanto, nesse momento ela precisa ser gradual e é fundamental estar atento a alguns cuidados. A redução do nível de condicionamento e a prática de exercícios realizados de forma inadequada podem desencadear problemas ortopédicos, tais como: estiramentos e rupturas, tendinites, bursites, entre outros problemas de ombro, cotovelo, coluna e até joelho”, ressalta o ortopedista e especialista em ombro e cotovelo, Dr. Layron Alves.
E para que você não sofra com esses problemas e retome seu condicionamento físico, confira algumas orientações do especialista:
– Faça alongamentos e se aqueça antes;
– Não utilize peso muito maior do que pode aguentar e nem tão leve ao ponto de ter uma “folga” nas articulações;
– Respeite os limites do corpo e não treine em excesso, a volta ao ritmo habitual também deve ser progressiva;
– Sempre preste atenção na postura e praticar as técnicas de forma adequada;
– Evitar repetir os mesmos treinos seguidamente;
– Tenha sempre a orientação de um profissional, seja ele educador físico ou personal trainner. E em caso de qualquer dor anormal que dure por mais de 10 dias, procure um atendimento médico.
Em tempos de pandemia da Covid-19, vale lembrar que é preciso respeitar algumas regras para evitar a transmissão da doença. Elas vão desde o uso de máscaras que não causam nenhum prejuízo ao seu rendimento, respeitar as medidas de higienização dos aparelhos, manter o distanciamento de no mínimo 1,5 metro dos outros frequentadores, levar sua própria garrafa de água e, em caso de suspeita da doença, evitar frequentar o ambiente”, finaliza o médico.