Integrante do elenco do Termpersul/Dracena durante a Copa Paulista de Futsal de 2019, hoje Copa LPF, o goleiro Olinha vivenciou recentemente algumas experiências na Europa, motivadas pela pandemia do novo coronavírus, um pouco diferentes em relação ao que tem ocorrido no Brasil. A equipe dele foi declarada campeã após a paralisação do torneio local. Fora do esporte, o atleta vê a necessidade de alguns brasileiros encararem o combate à Covid-19 com mais seriedade.

O último clube defendido por Olinha foi o Lucenec, da Eslováquia, país em que o goleiro ficou até o final de março, às vésperas das autoridades eslovacas fecharem suas fronteiras. “Saí da Eslováquia faltando um dia para a fronteira fechar. Pois, na minha cidade (Lucenec), tivemos dois casos confirmados, e, na capital, Bratislava, foram oito“, relembrou Olinha sobre o cenário por lá até sua saída.

E a saída um pouco às pressas teve como causa a espera que ele precisou enfrentar para saber qual seria o desfecho da liga local, paralisada no final de fevereiro, ou seja, quase um mês antes.

A principal competição do futsal da Eslováquia estava em sua fase semifinal e, na somatória total de pontos, envolvendo as etapas anteriores, apresentava o Lucenec, time de Olinha, como o primeiro colocado.

Entretanto, como explicou o goleiro, nem todas as equipes concordaram, a princípio, com o encerramento antecipado da liga e que a taça fosse entregue para a equipe da cidade de Lucenec, com cerca de 80 mil habitantes e localizada ao sul do país, quase na divisa com a Hungria e a cerca de 250km da capital, Bratislava.

Com informações: Globo Esporte.com | Foto:  Janci.Mintal/ReSporting